Select Page

Recursos Físicos na Fisioterapia Desportiva

Vantagens ao tirar esta formação:

  • Otimizar o seu tempo diário com aulas teóricas on-line (b-learning);
  • Ser diferenciado por dominar estas ferramentas com embasamento científico;
  • Resolver as possíveis dúvidas com o formador, em uma aula ao vivo online no final de cada módulo;
  • Obter literatura atualizada;
  • Desenvolver raciocínio clínico diferenciado para solucionar problemas clínicos;
  • PRÁTICA integrada, com os recursos físicos estudados, com 20 horas de atividades presenciais simulando o ambiente clínico.

Recursos físicos que aceleram o return-to-play no desporto

 

Esta é uma formação diferenciada que combina aulas ao vivo online e atividades presenciais simulando o ambiente clínico.

É composta por 7 MÓDULOS distintos e altamente clínicos para alcançar o  sucesso no atendimento dos seus atletas:

 

Estimulação elétrica muscular para o desporto – reabilitação muscular acelerada. 

 

Objetivos: esclarecer os parâmetros fisiológicos para treino de força e resistência muscular. Discutir e esclarecer o papel dos parâmetros das correntes elétricas e os seus efeitos no treino muscular. Demonstrar as aplicações práticas baseadas em problemas frequentes no desporto e no treino muscular, desde os procedimentos cirúrgicos até ao return-to-play. Raciocínio pautado na individualidade e especificidade de cada atleta.

Aprenda também como utilizar o TECAR no tratamento das tendinopatias, este recurso versátil, altamente controlável e que pode concentrar energia terapêutica nos tendões, se o terapêuta souber utilizar com qualidade.

Conteúdo programático:

  1. Bases para determinar a carga de treino de força e resistência muscular. Fadiga como parâmetro, seguindo os preceitos ACSM;
  2. Sinais de determinação correta de carga, curvas de intensidade e volume de treino;
  3. Parâmetros da electroestimulação muscular para atingir a carga de treino pretendida;
  4. Tipos de correntes elétricas: diferenças físicas e semelhanças nos efeitos;
  5. Posicionamento dos elétrodos corretamente para melhores efeitos terapêuticos;
  6. Utilização correta da electroestimulação para gerar carga de treino muscular;
  7. Existe a melhor corrente elétrica?
  8. DEMONSTRAÇÃO de aplicações práticas da electroestimulação muscular: correção de escolioses e défice na postura, treino de músculos na coxa (com foco na individualização de ventres musculares, ativação dos músculos glúteos, tratamento das disfunções na patela femoral decorrentes de hipotrofia muscular, potencializar o uso de equipamentos de ginásios, uso individual das correntes, sem equipamento de ginásio.

Todos os tópicos são baseados em evidências científicas e clínicas.

9. Prática de exercícios e protocolos para determinação de carga e utilização da electroestimulação para treino muscular e postural.

Electroanalgesia no desporto – controle da dor optimizado.

 

Objetivos: esclarecer os parâmetros fisiológicos para tratamento da dor, de origem articular, tendinosa, muscular, pós-traumática e pós-cirúrgica. Discutir e esclarecer o papel dos parâmetros das correntes elétricas e seus efeitos na produção da analgesia, seja na dor de origem tensional e/ou inflamatória. Demonstrar aplicações práticas baseadas em problemas frequentes no desporto e no treino de alta competição, desde os procedimentos cirúrgicos até o return-to-play. Raciocínio e respeito pautado na individualidade dos atletas.

Conteúdo programático: 

 

1. Bases fisiológicas para determinação de estímulos analgésicos com as correntes elétricas;

2. Sinais de determinação correta dos parâmetros de analgesia;

3. Tipos de correntes elétricas: diferenças físicas e semelhanças nos efeitos;

  1. Posicionamento dos elétrodos corretamente para melhores efeitos terapêuticos;

5. Existe a melhor corrente elétrica?

  1. DEMOSNTRAÇÃO de aplicações práticas da electroanalgesia: posicionamentos do atleta, dos elétrodos e associação de recursos e exercícios durante a electroanalgesia, para otimização de resultados.

Todos os tópicos são baseados em evidências científicas e clínicas.

  1. Prática de protocolos segundo preceitos publicados em artigos científicos e adaptados para o tratamento de atletas de alta competição.

Microcorrentes para regeneração tecidual acelerada

 

Objetivos: Desenvolver o raciocínio clínico para adequar a dosimetria, baseada em evidências; detalhar os diferentes tipos de microcorrentes e as estruturas que as absorvem; apresentar e discutir os efeitos fisiológicos e terapêuticos das microcorrentes, baseados em evidências científicas e clínicas. Raciocínio e respeito pautado na individualidade dos atletas.

Conteúdo programático:

Bases físicas e biofísicas da terapia por Microcorrentes;

Efeitos fisiológicos destas correntes na bioestimulação do metabolismo;

Benefícios terapêuticos do uso desta terapia e adaptação dos equipamentos às necessidades do atleta;

Adaptação dos parâmetros de tratamentos de forma a obter os melhores resultados, pautados em ciência, ciências básicas e clínica.

FOTOBIOMODULAÇÃO no Desporto

 

Objetivos: Desenvolver o raciocínio clínico para adequar a dosimetria do laser e led, baseada em evidências; detalhar os diferentes tipos de lasers e leds e as estruturas que os absorvem; apresentar e discutir os efeitos fisiológicos e terapêuticos da fotobiomodulação, baseados em evidências científicas e clínicas. Respeito e raciocínio pautado na individualidade dos atletas.

Conteúdo programático:

a. Compreendendo a LUZ LASER sob os seguintes aspetos:

  • Bases físicas;
  • Interação da luz com os tecidos;
  • Principais comóforos do corpo humano.

b. Dosimetria:

  • Conceitos utilizados na dosimetria e as recomendações atuais da Sociedade Mundial de Laserterapia (WALT).
  • Readequação de dosimetria para obtenção de resultados baseados em evidências científicas.
  • Comprimentos de ondas e indicações dos principais lasers.
  • Energia como parâmetro fundamental.

Lasers e LEDs:

  • Diferenças físicas e na dosimetria.
  • Critérios de qualidade.

APLICAÇÕES: serão abordadas, demonstradas e realizadas na prática as seguintes aplicações da fotobiomodulação:

  1. facilitador do exercício, do ganho de força e redução de fadiga muscular;
  2. lesões nervosas periféricas;
  3. tratamento de fraturas;
  4. cicatrização de feridas e incisões;
  5. agente analgésico (dor não oncológica) e modulador da inflamação;
  6. ILIB: LASERTERAPIA SISTÊMICA, com indicações e protocolos.

Aquecimento profundo – Diatermia no desporto

Objetivos: Desenvolver o raciocínio clínico de forma a adaptar a dosimetria, baseada em evidências; detalhar os diferentes tipos de recursos capazes de produzir diatermia, nomeadamente as radiofrequências, TECAR e ultrassom terapêutico. Detalhar as estruturas que os absorvem e quanto absorvem; apresentar e discutir os efeitos fisiológicos e terapêuticos da diatermia, baseados em evidências científicas e clínicas. Raciocínio e respeito pautado na individualidade dos atletas.

Conteúdo programático:

  • Bases físicas e biofísicas da diatermia por Radiofrequencia e TECAR, e ultrassom terapêutico;
  • Efeitos fisiológicos do calor e da estimulação do metabolismo;
  • Benefícios terapêuticos do uso da diatermia e a adaptação dos equipamentos às necessidades do atleta;
  • Adaptar dos parâmetros de tratamentos para obtenção dos melhores resultados, pautado em ciência, ciências básicas e clínica.

Ultrassom para tratamento de fraturas

Objetivos: Desenvolver o raciocínio clínico de forma a adaptar a dosimetria, baseada em evidências; detalhar as estruturas que os absorvem e quanto absorvem; apresentar e discutir os efeitos fisiológicos e terapêuticos da estimulação óssea com ultrassom de baixa intensidade e elevada energia, baseados em evidências científicas e clínicas. Raciocínio e respeito pautado na individualidade dos atletas.

Conteúdo programático:

  • Reparação de fraturas e os retardos na consolidação;
  • Estimulação de baixa intensidade vibracional com ultrassom terapêutico;
  • Respostas baseadas em evidências;
  • Apresentação do protocolo de tratamento de fraturas desenvolvido pelo formador e utilizado em dezenas de fraturas em atletas de alta competição, praticantes de exercício físico e atletas amadores.

Magnetoterapia

Objetivos: Desenvolver o raciocínio clínico de forma a adaptar a dosimetria, baseada em evidências; detalhar os diferentes tipos de recursos capazes de produzir os efeitos terapêuticos magnéticos de campo oscilatório. Detalhar as estruturas que os absorvem e quanto absorvem; apresentar e discutir os efeitos fisiológicos e terapêuticos da magnetoterapia de campo oscilatório, baseados em evidências científicas e clínicas. Respeito e raciocínio pautado na individualidade dos atletas.

 

Conteúdo programático:

  • Bases físicas e biofísicas da magnetoterapia de campo oscilatório;
  • Efeitos fisiológicos na bioestimulação no metabolismo;
  • Benefícios terapêuticos do uso da magnetoterapia e a adequação dos equipamentos às necessidades do atleta, com uso de túneis ou selenóides;
  • Adequação dos parâmetros de tratamentos para obtenção dos melhores resultados, pautado em ciência, ciências básicas e clínica.
Prof. Alexandre Cavallieri Gomes

Prof. Alexandre Cavallieri Gomes

Coordenador

  • Fundador do Sports Doctor.
  • Docente da Escola Superior de Saúde de Santa Maria – Porto – Portugal.
  • Formador em cursos e especializações em Portugal e Espanha,
  • Licenciado e mestre em fisioterapia pela UFSCar,
  • Sócio Honorário, Especialista e Fundador da SONAFE – Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva,
  • Fisioterapeuta de atletas olímpicos e paralímpicos,
  • Consultor clínico para clínicas de fisioterapia no Brasil, Portugal e Suíça,
  • LECTURER OF HONOR concedido pela CALIFORNIA UNIVERSITY
  • Docente no ensino superior desde 1998.
  • Membro de grupos de investigação desde 1994.
  • Fisioterapia Esportiva no Esporte Universitário (UFSCar 1996-99)
  • Fisioterapeuta (clínica) da equipa de andebol Metodista/São Bernardo (2001-2011);
  • Coordenador da Saúde do atleta e Fisioterapeuta da Equipa PSK/Metodista de Skate Profissional (2011-2014);
  • Fisioterapeuta pessoal do atleta Edgard Pereira (Skate vertical e Mega Rampa) de 2012 a 2017;
  • Fisioterapeuta do Voleibol Masculino Adulto de Santo André (2013-2015);
  • Fisioterapeuta do Voleibol Feminino Porto Vólei (2018-2019);
  • Atuação com fisioterapia desportiva em clínica própria desde 2012. Desde 2018 em Portugal.
  • Consultor em Recursos Físicos no Desporto para clubes e clínicas no Brasil, Suíça, Portugal e Estados Unidos.

Reviews

Seja o primeiro a avaliar “Recursos Físicos na Fisioterapia Desportiva”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Recursos Físicos na Fisioterapia Desportiva”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *